DE QUE SE ADOECE E MORRE EM PORTUGAL?

HIPERTENSÃO ARTERIAL / DIABETES / HIPERCOLESTEROLEMIA / OBESIDADE

BEM VINDO

É com enorme prazer que o convidamos a estar presente no I Fórum das Doenças Civilizacionais, que irá ter lugar no dia 18 de Novembro de 2017 no PT Meeting Center em Lisboa.

O I Fórum das Doenças Civilizacionais surge no âmbito do Observatório das Doenças Civilizacionais. Desenvolvido pela PremiValor Consulting, o Observatório teve como principal objectivo o estudo integrado de 4 patologias – hipertensão, diabetes, hipercolesterolomia, e obesidade – na sua relação com os “novos estilos de vida”. Dada a atualidade e pertinência destes temas, pretende-se que o I Fórum das Doenças Civilizacionais constitua, numa perspectiva multidisciplinar e inovadora, um espaço de apresentação e debate nestas áreas.

O Fórum terá início às 9h30, sendo destinado ao público em geral, académicos e profissionais de saúde. Neste período serão debatidos temas relevantes como os custos associados às doenças civilizacionais em Portugal, novos paradigmas em saúde e visão integrada da prevenção das doenças civilizacionais. A participação do público em geral, bem como da comunidade científica contribuirá para o enriquecimento do debate.

Procurou-se, portanto, elaborar um programa alargado e multidisciplinar que possa servir de reflexão aos novos desafios das doenças civilizacionais.

Até Novembro de 2017,

Telmo Francisco Vieira

(Managing Partner PremiValor Consulting)

APRESENTAÇÃO

O I Fórum das Doenças Civilizacionais será o primeiro evento em Portugal a constituir um espaço de apresentação e debate dos novos desafios, abordagens e paradigmas das doenças civilizacionais, e representa o esforço conjunto entre a PremiValor Consulting e os Sponsors envolvidos na organização de um evento com um elevado padrão de qualidade e partilha de conhecimento de forma integrada e estruturada.

O I Fórum das Doenças Civilizacionais vem dar continuidade ao Observatório das Doenças Civilizacionais, projeto particularmente relevante para o país em face da prevalência das doenças abrangidas no estudo na população portuguesa. O Observatório das Doenças Civilizacionais em Portugal, é um estudo que pela primeira vez em Portugal analisou de forma integrada quatro patologias, hipertensão, diabetes, obesidade e hipercolesterolomia as quais se denominou de doenças civilizacionais.

Desenvolvido pela PremiValor Consulting, o projeto contou com a participação de organismos/entidades de referência como a Direção Geral da Saúde, Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge, Direções Regionais de Saúde, investigadores nas áreas em estudo e também mais de 50 empresas e organizações de referência na área da saúde e do medicamento.

No próximo dia 18 de Novembro de 2017, no PT Meeting Center em Lisboa, serão debatidos vários temas com vista a uma visão integrada da prevenção das doenças civilizacionais e do impacto das novas tecnologias.

A primeira edição do Fórum das Doenças Civilizacionais conta com um programa dedicado ao público em geral, académicos e profissionais de saúde

Venha ao 1ºForúm das Doenças Civilizacionais, não perca esta oportunidade de discutir a importância da

saúde na qualidade de vida da população e no seu desenvolvimento sustentado

Evento gratuito e sujeito a inscrição

KEY SPEAKERS

Pedro Teixeira

Professor Catedrático de Atividade Física e Saúde e Investigador da Faculdade de Motricidade Humana (FMH), Universidade de Lisboa; coordena o grupo de investigação "Auto-Regulação e Mudança Comportamental em Saúde" (CIPER - FMH); ex-presidente da International Society of Behavioral Nutrition and Physical Activity; atual Diretor do Programa Nacional de Promoção da Atividade Física da Direção-Geral da Saúde

Céu Mateus

Professora Associada em Economia da Saúde na Universidade de Lancaster no Reino Unido. Entre 2001 e 2014 desenvolveu a sua actividade profissional na Escola Nacional de Saúde Pública da Universidade Nova de Lisboa. No Departamento de Desenvolvimento de Sistemas de Financiamento e Gestão (actualmente parte da ACSS), entre 1995 e 2000, foi responsável executiva pelo Sistema de Financiamento / Sistema de Classificação em Grupos Relacionados com Diagnósticos. É um dos peritos da Comissão de Avaliação de Tecnologias da Saúde do INFARMED. Tem mais de 20 anos de experiência em investigação na área da avaliação económica de medicamentos. Foi presidente da Patient Classification Systems International entre 2002 e 2009. É actualmente presidente da Associação Portuguesa de Economia da Saúde (www.apes.pt). Foi eleita para o Conselho Fiscal da Associação Europeia de Economia da Saúde em 2016 (www.euhea.eu). É membro da Direcção do Capítulo Português da ISPOR.

Telmo Vieira

Licenciado em Gestão pelo ISEG – Universidade de Lisboa é coordenador da Pós-Graduação em Management & Business Consulting na mesma Universidade.

Enquanto Partner na PremiValor Consulting coordenou a execução da 1ª. Edição do Observatório das Doenças Civilizacionais em Portugal.

Possui mais de 20 anos de experiência em assessoria de gestão enquanto partner na PremiValor Consulting e anteriormente como Manager no departamento de Advisory Services da PricewaterhouseCooper.

Paulo Jorge Nogueira

Paulo Jorge Nogueira é Licenciado e Mestre em Probabilidades e Estatística da Saúde pela Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa e Doutorado em Saúde Internacional no Instituto de Higiene e Medicina Tropical da Universidade Nova de Lisboa. Atualmente, é Professor Auxiliar Convidado da Faculdade de Medicina de Lisboa e Diretor da Direção de Serviços de Informação e Análise da Direção-Geral da Saúde. De 2010 a 2012 foi Chefe da Divisão de Estatísticas da Saúde da Direção-Geral da Saúde. E, de 1994 a 2010 exerceu a sua profissão no INSA (Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge), onde participou e foi responsável por vários projetos.

OBSERVATÓRIO DAS DOENÇAS CIVILIZACIONAIS

A 1.ª Edição do Observatório das Doenças Civilizacionais em Portugal, levada a cabo em 2010 pela Premivalor Consulting, procurou estudar de forma integrada quatro patologias, Hipertensão Arterial, Diabetes, Hipercolesterolemia e Obesidade as quais se convencionou denominar de doenças civilizacionais.

O Observatório das Doenças Civilizacionais, desenvolvido pela PremiValor Consulting, procurou fazer face à falta de dados que se verificava ao nível da perceção da população portuguesa sobre as patologias referidas, tendo compreendido a aplicação de um questionário presencial junto da população e também a recolha de indicadores clínicos relacionados com as doenças em estudo.

Os principais objetivos da primeira edição do observatório foram:

  • Identificar o grau de conhecimento da população em relação às doenças civilizacionais.
  • Identificar comportamentos de risco associados ao desenvolvimento das doenças civilizacionais, de forma a avaliar a eficácia da informação difundida face ao esclarecimento efetivo da população.
  • Fornecer dados estatisticamente sustentados sobre estas doenças para as diversas regiões do país (continente e ilhas).

O projeto teve como coordenador científico o Prof. Doutor Manuel Oliveira Carrageta e contou com a participação de organismos/entidades de referência como a Direção Geral da Saúde, Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge, Direções Regionais de Saúde, investigadores nas áreas em estudo e mais de 50 empresas e organizações de referência na área da saúde e do medicamento que prontamente se associaram ao projeto.

Grupo Tecnimede

“O Grupo Tecnimede tem como um dos pilares fundadores a promoção das actividades de I&D, de iniciativa individual, ou em colaboração com entidades públicas ou privadas, nacionais e internacionais (…) O Grupo Tecnimede assumiu a missão de disponibilizar às populações soluções terapêuticas para as principais doenças civilizacionais”

SOFTLIMITS

“Conscientes da importância que as patologias como a Hipertensão Arterial, Hipercolesterolemia, Diabetes e Obesidade têm na sociedade portuguesa, a SOFTLIMITS associou-se ao Observatório das Doenças Civilizacionais em Portugal, na publicação de um estudo sobre as mesmas. Desta forma acreditamos estar a contribuir para sensibilizar a população portuguesa para estas doenças e para o seu tratamento, que tanto têm incrementado no nosso país”

Clínicas Quadrantes

“É fundamental que todos os grupos ligados à saúde se municiem da máxima informação disponível quanto às modificações dos perfis das patologias no nosso país já que a situação se modificou radicalmente nas últimas três décadas devido ao envelhecimento da população, às melhorias no saneamento básico e educação, como também devido ao aumento do sedentarismo, do stress, de excessos alimentares, etc”

Grupo HPP Saúde

“A evolução das sociedades modernas, com todos os benefícios e conquistas que reconhecemos como positivas, comporta hoje uma série de novas problemáticas e desafios, cujo impacto se reflete sem dúvida alguma na saúde e qualidade de vida das populações (…).

A emergência das doenças civilizacionais fruto desta complexa teia de causas e efeitos, merece hoje um estudo atento e uma intervenção sustentada no envolvimento de todos – indivíduo, família, organizações públicas e privadas, empresas e entidades sociais.”

Governo Regional dos Açores, Secretaria Regional da Saúde

“A Região Autónoma dos Açores está a implementar o Plano Regional de Saúde 2009-2012, que integra dez programas específicos.

Considera-se, por isso de toda a pertinência, para complementar o conhecimento actualizado de alguns indicadores de saúde, integrar o estudo do Observatório das Doenças Civilizacionais em Portugal Continental e Ilhas, de modo a poder constituir elemento adicional para a sua execução e, sobretudo para se poder, comparar a respectiva evolução. (…) com estes dados, o Serviço Regional de Saúde poderá preparar as suas orientações com maior solidez.”

Governo Regional dos Açores, Secretaria Regional da Saúde

“A Região Autónoma dos Açores está a implementar o Plano Regional de Saúde 2009-2012, que integra dez programas específicos.

Considera-se, por isso de toda a pertinência, para complementar o conhecimento actualizado de alguns indicadores de saúde, integrar o estudo do Observatório das Doenças Civilizacionais em Portugal Continental e Ilhas, de modo a poder constituir elemento adicional para a sua execução e, sobretudo para se poder, comparar a respectiva evolução. (…) com estes dados, o Serviço Regional de Saúde poderá preparar as suas orientações com maior solidez.”

PROGRAMA FINAL

08h30

Abertura do Secretariado

09h30

SESSÃO DE ABERTURA

Dr. Francisco Ventura Ramos (Chairman)
Presidente do Conselho de Administração IPO Lisboa; Professor Associado da ENSP-UNL

09h45

APRESENTAÇÃO DO OBSERVATÓRIO DAS DOENÇAS CIVILIZACIONAIS

Dr. Telmo Vieira;
Partner PremiValor Consulting
Professor do Instituto Superior de Economia e Gestão, Universidade de Lisboa

10h15

MORTALIDADE E MORBILIDADE EM PORTUGAL

De que se adoece e morre em Portugal?
Prof. Doutor Paulo Nogueira
Direção-Geral da Saúde
Instituto de Medicina Preventiva e Saúde Publica, Faculdade de Medicina, Universidade de Lisboa

O custo da doença
Profª. Doutora Céu Mateus
Professora da Universidade de Lancaster

11h00

Coffee Break

11h30

ACTIVIDADE FÍSICA E SAÚDE PÚBLICA

Prof. Dr. Pedro Teixeira
Direção-geral da Saúde, Programa Nacional para a Promoção da Atividade Física;
Professor da Faculdade de Motricidade Humana, Universidade de Lisboa

 

12h00

Debate: A PREVENÇÃO DAS DOENÇAS CIVILIZACIONAIS: UMA VISÃO INTEGRADA

Moderador - Jornalista - Pedro Pinto
Dra. Graça Raimundo, Vice Presidente da Ordem dos Nutricionistas
Dra. Isabel Trindade, Vice Presidente Ordem dos Psicólogos
Dr. Augusto Baganha, Presidente do IPDJ, I.P.
Dr. João Pimentel, Presidente da AGAP

EM PARCERIA COM

Web

MAJOR SPONSOR

logo

ORGANIZAÇÃO

logotipo

PT MEETING CENTER

Parque das Nações

Lisboa

O PT Meeting Center localiza-se numa zona central do parque das nações, no parque de exposições da FIL.

O PT Meeting Center é servido pelos principais acessos rodoviários nacionais, A1, A12 (Ponte Vasco da Gama) e IC2.

A sua localização junto à estação do Oriente permite um acesso fácil através de comboio, autocarros carris e metro (linha vermelha).

to top button